segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A menina que gostava de escrever

Eduarda tinha 16 anos, morava com a mãe - seu pai havia morrido há 5 anos, não tinha irmãos e vivia isolada, não tinha amigos por opção própria. Ela temia perder outra pessoa, como perdeu o pai, porque era o tipo de coisa que Eduarda não conseguia superar e por isso preferia se afastar de todos... para evitar o sofrimento. Como não tinha ninguém (não falava com a mãe, por mais que ela tentasse se aproximar), Eduarda passava o tempo lendo e escrevendo, eram as coisas que a menina realmente adorava fazer. Não ia à escola mas aprendia tudo sozinha com os livros e era muito inteligente. A menina ia à praia todas as tardes, pois o mar lhe trazia inspiração, e ficava ali até a tarde cair e a lua brilhar... era algo que a fazia sorrir e chorar ao mesmo tempo. Do outro lado das pedras, ficava um menino fazendo o mesmo que Eduarda: admirava o mar. Eduarda sabia todos os traços do menino, o observava discretamente ao longe e normalmente o colocava em suas estórias como um príncipe, porém nunca ousava sequer aproximar-se do garoto.
As estórias que a menina criava eram exatamente as coisas que ela queria viver, porém temia, por isto as deixava somente no papel. Eduarda chorava com as próprias estórias, se divertia com elas, com os personagens que criava... eram aqueles os amigos da garota. Ela sonhava com um príncipe encantado, sonhava com amigos fieis e leais, colocava o pai como heroi... e no final de tudo isto, a menina só chorava.
Um dia, Eduarda escreveu uma estória que era um misto de "Romeu e Julieta" com "Um amor para recordar", e quando foi chegando ao fim do conto que seria sufocantemente triste, a menina então percebeu que nem todas as histórias deviam ter um fim triste... que nem tudo tem que ser trágico e que as histórias podem ter fins felizes e bonitos, dependia apenas de quem escrevia a estória, de quem fazia a história! Então Eduarda modificou todo o capítulo do conto e o transformou em algo parecido com um conto de fadas, só que da vida real: com tristezas, alegrias, dificuldades, superação, entre outras coisas. A menina decidiu que iria dar um fim diferente a sua própria história, pois assim como manipulava seus contos, podia manipular a própria vida!
No dia seguinte, Eduarda foi à praia como fazia sempre, só que dessa vez ela iria fazer diferente: esperou o garoto chegar e fez-se perceber, fitou-o como jamais havia feito antes; O garoto então se aproximou, e eles ficaram ali, juntos, sem nada dizer... e o dia foi passando. Espontaneamente, as duas mãos se entrelaçaram e o que se seguiu disso foi um lindo beijo. Para os dois, foi algo mágico. Eles comunicaram-se com o olhar e depois começaram a conversar. Eduarda chegou em casa e beijou a mãe, dizendo que a amava, chorando de tristeza e felicidade ao mesmo tempo. Sua mãe espantou-se, abraçou-a e as duas choraram juntas.
Ali era apenas o começo da história mais linda que Eduarda já sonhou em escrever, porque era a sua história, era o começo da sua felicidade, do seu conto de fadas, e isto, não havia livro algum que pudesse retratar.
quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Afinal, por que é que o Brasil não vai para frente? [parte II]

Foi citado no post anterior o caso da estudante Mayara Petruso, que teve grande repercussão no país por ter dito horrores dos nordestinos. Pois bem, a mesma havia dito ainda que era por este motivo que o país não ia pra frente... e encontramos um motivo contrário (justamente o preconceito).
Vejamos agora mais um exemplo de preconceito onde muito se profere a famosa frase.
Como havia dito também no post anterior, hoje assisti a vídeos onde são cometidos diversos erros ortográficos, e estes tidos como motivos pra o país não andar.
Placas nas ruas com frases grotescas como "concertasse biciqeta", entre outras, realmente são uma vergonha para nós. Esse tipo de erro também é muito frequente na internet, e não somente por vício "internetês", vale salientar. Estes erros refletem nos erros que são cometidos em concursos, como enem, vestibulares em geral, e etc.
De certo, também existem muitos jovens que tiveram boa educação - estudam ou sempre estudaram em escolas particulares - que cometem erros ortográficos ditos absurdos. A isto pode-se dar o nome de desleixo, desinteresse, ou simplesmente falta de atenção e o fato de a língua portuguesa ser realmente complicada.
Apesar disso, temos ainda a maioria dessas pessoas sendo analfabetas, semi-analfabetas ou pessoas que não receberam educação de qualidade. Então, a culpa de escrever errado é delas? É por causa delas que o nosso país não vai para frente? O fato de terem que trabalhar para não morrer de fome ao invés de se preocupar com a escrita é motivo para eles serem os culpados por isso? Definitivamente, não!
A escrita é, de um certo modo, importante para nosso futuro, bom desempenho, etc e tal. Mas para quem não tem condição de pensar nisso, basta saber transmitir, de qualquer modo, sua mensagem, visto que mesmo com todos os erros de escrita e fala conseguimos entender o que se diz (salvo em alguns casos, é claro).
Venhamos e convenhamos: a educação é responsabilidade do governo. Se existem tantos analfabetos e pessoas que recebem péssima educação, a culpa não é delas. Claro que não é somente dos governantes, mas eles são a chave que têm o poder de abrir as portas das boas escolas, da boa educação, de melhores condições de vida.
Temos que abrir a cabeça, pois assim não é difícil saber porque os governantes não melhoram de maneira significativa o ensino: se todos recebessem boa educação, teriam capacidade para tirá-los do poder e ficar em seu lugar. Quem iria querer isto? Melhor garantir seu lado ou dar sua chance para o próximo? Não é difícil deduzir qual a escolha deles.
Então, com todos esses casos, histórias e pensamentos, chego a uma conclusão: a culpa de o país não ir para frente é de todos nós. Explicando melhor:
os governantes não fazem a parte deles como deveriam, daí um motivo pra o Brasil não melhorar;
uma parte dos brasileiros acredita que a culpa da situação do país é da outra parte dos brasileiros - e vice-versa;
nessa história toda, só se acusa e nada se faz.
Resultado: tudo continuar como está!
É preciso que cada um faça sua parte, pare de criticar os outros por seus pensamentos e atitudes (tá, algumas devem ser criticadas sim!), e tente mudar um pouco a situação. Não é difícil fazer isso, basta ter vontade.
Porque só quando todos se unirem é que realmente o Brasil irá para frente!

Afinal, por que é que o Brasil não vai para frente? [parte I]

Bom, de certo que muitos (creio eu) já ouviram a frase "é por isso que o Brasil não vai pra frente", principalmente nos últimos 2 meses, ao que me parece. Sim, a todo momento temos ouvido, ou lido esta frase, dita por críticos que criticam e críticos que defendem. Confuso, ainda? Vou explicar, vamos lá.
Quando Tiririca resolveu se candidatar, muitos disseram esta frase, alegando que o mesmo não teria capacidade de ser um bom deputado. Seus defensores então contra-atacaram, dizendo que seria pelo preconceito que o Brasil não iria pra frente.
Aí Dilma venceu as eleições e a história foi a mesma: quem critica Dilma, citou a tão conhecida frase, e quem a defende, citou a mesma julgando ser atitude preconceituosa.
Além disso, qualquer erro que os brasileiros cometem, inclusive ortográfico, é motivo de alguém fazer esta crítica. Hoje mesmo estava assistindo a vídeos de "pérolas do orkut", "pérolas do enem" e placas com erros ortográficos grotescos, e a mensagem é sempre a mesma: é por pessoas ignorantes como essas que o Brasil não vai pra frente...
Ok, ok, tudo faz sentido e parece preconceituoso ao mesmo tempo. Vamos então ao caso de Mayara Petruso, a estudante de direito paulista que culpou os nordestinos pela vitória de Dilma, alegando que por este fato o país está como está.
"Nordestino não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado." O que mais me espantou foi o fato de uma estudante de direito cometer um crime, dizer algo tão grave, como questionar a humanidade de alguém! Pelo visto mesmo vivendo em democracia temos pessoas que se acham superiores até em ser "humano" (isto lembrou-me aquela época na qual os negros eram vistos como mercadorias, não como pessoas...), o que é simplesmente ridículo!
Então é por isso que o Brasil não anda? Por que os nordestinos existem?
Pois é, e em muitos casos, assim como os nordestinos, muitos são vistos como causas para o Brasil estar como está... E para quem é contra esse tipo de acusação, o Brasil não anda por causa de quem acusa, de quem humilha e não vê os verdadeiros culpados.
Mayara é apenas uma em milhares de paulistas, cariocas e etc, que possuem o mesmo pensamento. É ignorância, principalmente para pessoas que se dizem tão cultas e entendidas da vida e do mundo. Inteligência é saber que ninguém é inferior a ninguém por nada! Nem por beleza, nem por dinheiro, estudo, cor, ou seja lá o que for. Mas infelizmente, essa afirmação acerca dos brasileiros não vai parar por aí, porque sempre terá alguém que questione, que critique, que não goste da maneira com a qual se governa, com a maneira com a qual os brasileiros se comportam.
Desde que Dilma ganhou, ainda fica (assim como Mayara nos explicitou) evidenciada a ignorância no seguinte paradoxo: "Eu quero um Brasil melhor. Mas como elegeram Dilma, o que vai acontecer é o pior e os brasileiros que votaram nela vão quebrar a cara."
Caraaaamba! Se nós queremos um país melhor, que tal começarmos apoiando quem está no poder? Mesmo que não simpatizemos, não tenhamos motivos para gostar, não custa nada acreditar e torcer para que as mudanças ocorram para melhor!
Será que esse não é um dos motivos para o país não ir para a frente?

About Me

Minha foto
Lua (:
Capricorniana, 19 anos, um tanto tímida porém de personalidade forte. Tem pés no chão e paradoxalmente idealiza o mundo e tem um tanto de fé nas pessoas. Adora admirar as coisas simples, e as valoriza muito mais do que as coisas "compradas". É apaixonada pela escrita e não poupa palavras para dar sua opinião. Acredita que palavras têm um poder imensurável; acredita também que pode trazer, assim, um pouco de felicidade às pessoas. Sonhos? Possui muitos, e tenta realizá-los. Dá tudo por seus amigos, luta por sonhos alheios também. Seu grande sonho profissional é cursar psicologia - profissão pela qual é apaixonada desde criança; outros sonhos seus são conhecer os amigos virtuais e viajar pelo mundo. Preza a sinceridade e a generosidade. Gosta de estudar, conhecer, ver. Se sensibiliza com histórias espontâneas, dramáticas e que possuam essência. A magia de um conto, de uma música, lhe dá arrepio. Ah, e tem uma paixão forte por retratar vidas alheias, seja como prosa, seja como poesia.
Visualizar meu perfil completo

My Blog List

  • - inspira expira palpitação ins pira ex pira desacelera coração anda mais devagar passinhos apressados vê se desacelera o passo pra encontrar o compasso tent...
    Há 2 anos
  • Bruno Bonilha - "Sarcasmo requer talento, foi feito pra quem sabe usar... não pra quem tenta."
    Há 6 anos

Welcome

Escrever é como uma necessidade, para mim. É um sonho particular levar alegria ou algo de bom para as pessoas. Aqui consigo expressá-los poetica ou até mesmo grosseiramente, mas tudo isso tem um propósito. O que eu desejo é que as pessoas se conscientizem das coisas e que não percam a fé umas nas outras... Tento trazer paz, tento trazer amor, além de reflexão; aqui mesmo, neste cantinho! Pode parecer inútil, mas já é uma grande coisa. Entre, fique à vontade para ler, curtir, criticar e se expressar!

You can replace this text by going to "Layout" and then "Page Elements" section. Edit " About "

Top 5 - bandas

  • Three Days Grace
  • Paramore
  • Fresno
  • Evanescence
  • The Pretty Reckless

Followers

Popular Posts